Saiba como evitar golpes online no Dia dos Namorados

Por Mercado E-Commerce | 11 de junho de 2014

O Dia dos Namorados está chegando, e o clima de amor está no ar também na internet: o número de vendas online sobe com as compras de presentes, enquanto a adoção de apss de namoro e encontro nunca foi tão alta pelo Brasil. Só que, assim como acontece nesses dois casos, cresce também o número de tentativas de golpes na internet. E por isso é importante ficar atento na hora de fechar negócio em alguma loja virtual ou mesmo marcar um encontro.

“As datas assim são uma boa hora para sofrer com phishing”, alerta a INFO Mariano Sumrell, diretor da AVG Brasil. E os golpes do tipo, que tentam levar usuários a uma página falsa para roubar informações, são só alguns dos que podem aparecer próximo à data. Segundo o executivo, a popularização dos apps de encontros também atrai golpistas em busca de eventuais vítimas, que podem acabar enganadas depois de um pouco de conversa.

No entanto, as táticas usadas normalmente não diferem muito das que aparecem em outras redes sociais ou envolvem sites de comércio eletrônico, por exemplo. A própria “pescaria” de informações já foi tratada aqui e aqui, enquanto as fraudes em serviços de encontro estão mais relacionadas ao conceito de engenharia social do que de contaminação por malware mesmo. Ainda assim, não custa se prevenir com algumas das dicas a seguir.

Medidas de prevenção – No caso dos aplicativos de relacionamento, a primeira dica dada pela empresa de Sumrell é avaliar a reputação do site ou serviço antes de fazer um cadastro. Feito isso, na hora de montar um perfil, o ideal é evitar parecer vulnerável ou inseguro – golpistas são mais atraídos por pessoas assim, diz a companhia.

Para o cadastro, aliás, é válido usar serviços que se conectam a contas em redes sociais, “mas certifique-se de customizar suas configurações de segurança”. Dessa forma, dá para manter o aplicativo longe da linha do tempo do Facebook, por exemplo – embora os mais populares, como o Tinder, já façam isso –, ou até mesmo das informações mais sensíveis dos perfis. Se preferir não arriscar, pode valer a pena criar uma conta de e-mail apenas para fazer o registro nesses sites, sempre com uma senha diferente.

Na hora de um diálogo, “não tenha pressa em fornecer informações pessoais, como seu endereço ou local de trabalho” – o que é algo que deve ser levado em conta já na hora de fazer o cadastro em uma página. Também não minta, mas tenha em mente que nem todo mundo vai fazer a mesma coisa. E se for marcar um encontro, “prefira locais públicos e deixe um amigo avisado”, sugere a companhia.

Nas compras – Se tiver passado da fase dos serviços de encontro e estiver em busca de um presente para o namorado ou a namorada, lembre-se da parte do phishing. Sumrell alerta que, além de sites falsos que tentam se passar por lojas de verdade, com ofertas sendo “anunciadas” por e-mail, há também o risco de um malware contaminar o PC por meio de uma mensagem aparentemente confiável, vinda do parceiro, por exemplo.

A prevenção no primeiro caso é simples: se já tiver entrado na página da oferta, cheque a URL e procure pela loja em algum buscador para comparar os endereços. Qualquer diferença na parte principal do campo já é sinal de que a promoção é um golpe. Mesmo se o site for verdadeiro, vale checar a reputação do estabelecimento em serviços como o ReclameAqui. Já na segunda situação, o ideal é até “confirmar se o namorado ou a namorada realmente enviou o e-mail” – e só abrir eventuais arquivos anexos após ter certeza.

Sumrell ainda sugere que as pessoas tenham até um cartão de crédito específico para compras online. Assim, caso tenha caído em um golpe e digitado o número em uma loja fraudulenta, dá para cancelá-lo ou bloqueá-lo antes que a transação seja de fato efetuada – e ainda evitar maiores transtornos que poderiam aparecer.

 

Fonte: Info

 

Comentários

Comentários

Tags: , , , ,

Categorias: Notícias

Leia Também

Abrir ou não minha loja virtual?
Facebook e Twitter dão passos largos em direção ao e-commerce
O perfil de quem compra pela internet no Brasil
Facebook serviu maior volume de publicidade online no Brasil em 2013